CineBuzz
#CineBuzzJáViu / CRÍTICA

“Apresentando, Nate” é um doce abraço nos adolescentes sonhadores | #CineBuzzIndica

Filme é uma adaptação do livro de Tim Federle, criador da série de "High School Musical"

CAMILA GOMES | @CAMILAGMS Publicado em 28/03/2022, às 17h00 - Atualizado em 01/04/2022, às 14h47

Rueby Wood interpreta o protagonista Nate Foster - (Divulgação/Disney+)
Rueby Wood interpreta o protagonista Nate Foster - (Divulgação/Disney+)

Estrelar um musical da Broadway é o sonho de boa parte dos artistas que cresceram em palcos de teatros e alguns poucos sortudos conseguem estrelar uma grande peça ainda na juventude. Nate Foster (Rueby Wood) é só um garoto de 13 anos, mas está disposto a entrar para essa seleta lista em "Apresentando, Nate", que já está disponível no Disney+.

É assim, que após ficar de fora da peça da escola, ele foge de casa ao lado de Libby (Arya Brooks), sua melhor amiga e ponto de equilíbrio, para realizar uma audição do novo musical de “Lilo & Stitch” e provar que é um grande ator. Mas é claro quee duas crianças sozinhas em Nova York não conseguiriam ir muito longe né? Então, eles acabam encontrando a tia de Nate, Heidi (Lisa Kudrow), que mora na cidade e também está correndo atrás de se consagrar como atriz.

O incentivo para se tornar um astro que não encontrou em casa, ele recebe da parente distante, que compreende exatamente suas agustias e respeita seu sonho de atuar. Esse é o grande mérito do filme, ao falar sobre sonhos “distantes”, ele escancara como muitas vezes, as “crianças do teatro” veem seus planos e dedicação sendo ridicularizados, classificados como impossíveis de serem alcançados.

No caso do protagonista de Rubey, mesmo contando com o suporte dos pais, ele não se sente aceito pelo irmão mais velho, Anthony (Joshua Bassett), o típico atleta que recebe toda a atenção da família e dos amigos, e que muitas vezes parece preferir não ser associado a Nate. O que pode até ser antagonismo de irmãos, mas toca em uma ferida do personagem.

Contra todas as expectativas, Nate passa da primeira fase dos testes, mas encontrar forças para seguir em frente em um meio tão competitivo não é uma tarefa fácil. Às vezes, só o talento e o amor pela arte não são o suficiente para um artista se destacar. Além de toda a técnica, ensaios e preparação, o apoio para continuar tentando é fundamental.

Apesar do roteiro ter o objetivo de não fazer a trama girar em torno da sexualidade do protagonista, é quase inegável o esforço que fizeram para não dizer a palavra “gay” ao longo do filme. Nate é descrito como “diferente” e deixa claro que não é um garoto hétero em diversos momentos. No entanto, parece que houve um certo receio de falar abertamente sobre essa característica, que daria uma profundidade ainda maior para o personagem, como se fosse tirar seu título de “filme para toda família”.

O longa conta com cenas musicais impressionantes e ambiciosas, escancarando o talento e a presença de Rubey, que é inegável. Tim Federle, que comanda a adaptação de seu próprio livro, entrega um filme teen emocionante e acolhedor, como a tempos a Disney não fazia.

Com estreia marcada para chegar em 1º de abril no Disney+, “Apresentando, Nate” finaliza como uma história inspiradora que abraça os jovens que sonham alto e se preparam para voar longe.

 


A Marvel está repleta de lançamentos em 2022! Para qual você está mais ansioso?

  • "Cavaleiro da Lua" (31 de março no Disney+)
  • "Doutor Estranho no Multiverso da Loucura" (5 de maio nos cinemas)
  • "Ms. Marvel" (8 de junho no Disney+)
  • "Thor: Amor e Trovão" (7 de julho nos cinemas)
  • "Mulher-Hulk" (Sem data de estreia definida no Disney+)
  • "Pantera Negra: Wakanda Para Sempre" (10 de novembro nos cinemas)

+ Já segue o CineBuzz nas redes sociais? Então não perde tempo!