CineBuzz
Cinema / Premiações / OSCAR 2022

Brasileiro é indicado ao Oscar com documentário da Netflix

"Onde eu Moro", co-dirigido por Pedro Kos, aborda o drama de pessoas em situação de rua

ANGELO CORDEIRO | @ANGELOCINEFILO Publicado em 09/02/2022, às 13h00 - Atualizado às 13h01

Brasileiro é indicado ao Oscar com documentário da Netflix - Divulgação/Netflix
Brasileiro é indicado ao Oscar com documentário da Netflix - Divulgação/Netflix

O brasileiro Pedro Kos apareceu na lista de indicados ao Oscar 2022, divulgada nesta terça-feira (8), com o documentário em curta-metragem “Onde eu Moro” (“Lead Me Home”), disponível na Netflix. 

Pedro, que co-dirige o filme ao lado do norte-americano Jon Shenk, tem em seu currículo, a experiência de ter sido editor tanto de “Lixo Extraordinário”, documentário indicado ao Oscar em 2011, quanto de “A Praça Tahrir”, indicado na mesma categoria em 2014. Esta é a primeira indicação do brasileiro como diretor de um filme próprio.

Como você pode imaginar ver meu nome nesta lista foi um sonho. Uma honra acordar com a notícia dessa indicação e compartilho com o meu co-diretor Jon Shenk, com toda a nossa equipe e com as pessoas maravilhosas que a gente conheceu no processo de desenvolvimento desse curta, pessoas que contaram suas histórias, nossos vizinhos que moram na rua e que nos ensinaram que há muito mais coisas que nos unem do que nos separam. Eles nos inspiraram e eu dedico tudo em honra deles”, contou Pedro em entrevista à CNN Brasil.

“Onde eu Moro” é uma produção norte-americana com o selo da Netflix que mostra a realidade das pessoas que vivem em situação de rua nas cidades de Los Angeles, San Francisco e Seattle, na costa oeste americana.

Pedro afirmou que começou a gravar o documentário sem muitas pretensões, por ser uma situação que o acompanha diariamente em Los Angeles, cidade com mais de 63 mil pessoas nessa situação, de acordo com o censo de 2020.

No início pensamos, ‘quem vai querer comprar um filme sobre sem-teto?’ A gente fez porque queria, foi um dos maiores riscos da minha carreira. Arrisquei muito e não estávamos ganhando nada. Só fiz porque me apaixonei pelas pessoas e pelo assunto”, revelou.

O carioca contou com o apoio de organizações não governamentais que dão assistência aos moradores de ruas e que fizeram o meio de campo na apresentação dos personagens. O documentário tem 39 minutos e foi lançado pela Netflix em 2021.

É claro que fico muito feliz com essa indicação, mas o que mais quero é que as pessoas se conectem com essas histórias, conheçam essas pessoas e lembrem disso quando encontrar alguém que está na rua”, falou o cineasta brasileiro.