CineBuzz
Facebook CineBuzzTwitter CineBuzzInstagram CineBuzz
Cinema / SPIN-OFF DE "HARRY POTTER"

"Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore" fracassou em bilheteria. E agora?

Novo longa da série derivada de "Harry Potter" chegou à HBO Max nesta segunda-feira (30)

Henrique Nascimento | @hc_nascimento Publicado em 30/05/2022, às 13h32

Jude Law interpreta Alvo Dumbledore em "Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore", já disponível na HBO Max - Reprodução/Warner Bros. Pictures
Jude Law interpreta Alvo Dumbledore em "Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore", já disponível na HBO Max - Reprodução/Warner Bros. Pictures

"Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore", terceiro longa da franquia derivada de "Harry Potter", chegou à HBO Max nesta segunda-feira (30), depois de uma passagem abaixo da média pelos cinemas, o que tem causado preocupação nos fãs, que temem que a pentalogia prevista para contar a história do duelo entre Alvo Dumbledore (Jude Law) e Gerardo Grindelwald (Mads Mikkelsen) seja descontinuada. E não é sem motivo: o longa oficialmente ostenta o título de pior bilheteria de toda a franquia "Harry Potter".

Porém, será que as contas estão certas? Com apenas duas semanas nos cinemas do mundo todo, "Animais Fantásticos 3" havia superado os 200 milhões de dólares em arrecadação internacional e coberto o orçamento para a produção do filme, um feito que só uma franquia como "Harry Potter" poderia atingir assim tão facilmente. Porém, o longa não cresceu o suficiente para agradar os executivos da Warner Bros. Pictures e, 50 dias depois, fechou em quase 395 milhões de dólares.

Podemos dizer que alguns fatores podem ter prejudicado o sucesso de "Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore", como a demissão de Johnny Depp do papel de Grindelwald, os casos de transfobia da autora da saga, J.K. Rowling, mas dois deles se sobressaem: a pandemia de coronavírus e o lançamento da HBO Max, plataforma de streaming da WarnerMedia.

Primeiro, falemos da pandemia, que foi responsável por fechar os cinemas e mudou a forma como as pessoas passaram a consumir produções cinematográficas. Nos dois anos entre a manifestação do vírus e o lançamento de "Animais Fantásticos 3", o público do cinema migrou com força para os streamings e as plataformas supriram a demanda dessas pessoas. Mesmo quando os cinemas reabriram de vez, alguns serviços optaram por lançamentos híbridos, mantendo as pessoas em casa e "desengavetando" as produções já rodadas.

"Animais Fantásticos e Onde Habitam", que foi lançado em 2016 e deu início à franquia derivada, é o filme com a maior bilheteria dos três até o momento, com mais de 814 milhões de dólares arrecadados ao redor do mundo. Exceto por "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban" (2004), todos os filmes de "Harry Potter" arrecadaram mais do que esse valor em suas passagens pelas telonas.

Quando o segundo filme, "Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald", foi lançado, em 2018, a recepção foi menor ainda, com quase 655 milhões de dólares de bilheteria mundial. Novamente, esses seriam números perfeitos para qualquer filme, mas não para uma produção da franquia "Harry Potter", que conquistou quase 8 bilhões de dólares em bilheteria com seus oito filmes.

Tanto o primeiro quanto o segundo filme de "Animais Fantásticos" ficaram nos cinemas do mundo todo por 58 semanas, ou seja, mais de um ano, segundo informações do Box Office Mojo, que contabiliza a bilheteria dos filmes. O tempo nas telonas - mesmo que ele perca salas conforme o filme vai sendo substituído por novas produções - certamente ajudou em uma arrecadação mais expressiva e, com certeza, ajudaria com o terceiro filme, mas há outro empecilho no caminho: a HBO Max.

A plataforma estreou em maio de 2020 nos Estados Unidos, nos primeiros meses da pandemia, e chegou ao Brasil um ano depois. Um dos principais atrativos da HBO Max, anunciado junto com a novidade, é que os filmes do conglomerado WarnerMedia, incluindo produções da Warner Bros. Pictures como "Animais Fantásticos", chegariam ao serviço cerca de 50 dias após estrearam nos cinemas. Ou seja, o filme tem cerca de sete semanas para conquistar a mesma bilheteria que conquistaria em um ano no passado.

Um exemplo recente é "The Batman", que no período de sete semanas em que esteve nos cinemas arrecadou 752 milhões de dólares em bilheteria mundial. Para efeito de comparação, é apenas cerca de 300 milhões de dólares a menos do que "Coringa", outro filme da DC, lançado em outubro de 2019, que arrecadou pouco mais de 1 bilhão de dólares em bilheteria mundial em cerca de cinco meses antes do fechamento dos cinemas por conta da pandemia.

Com "Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore" se tornando oficialmente a pior bilheteria da franquia "Harry Potter", os planos iniciais da Warner Bros. Pictures podem mudar drasticamente. Ainda que o estúdio procure manter o compromisso de finalizar a pentalogia, os números decadentes da franquia podem falar mais do que alto, especialmente se a Warner pretender investir outros 200 milhões de dólares para a produção do quarto filme.

Uma opção ao cancelamento seria o lançamento das sequências diretamente na HBO Max, o que faria com que o investimento diminuísse um pouco e os fãs pudessem acompanhar o desfecho da história. No entanto, o estúdio não parece estar muito focado em "Animais Fantásticos" por agora. Em entrevista recente, o produtor David Heyman revelou que o roteiro de um quarto filme nem mesmo começou a ser escrito. Agora, é só esperar e, se você for fã, torcer muito.



Já assistiu a "Os Segredos de Dumbledore"? Então, diz pra gente, qual é o seu favorito da franquia "Animais Fantásticos"?

  • "Animais Fantásticos e Onde Habitam"
  • "Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald"
  • "Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore"
  • Prefiro "Harry Potter

+ Já segue o CineBuzz nas redes sociais? Então não perde tempo!