CineBuzz
Cinema / ENTREVISTA

Cate Blanchett revela que escuridão a atraiu para "O Beco do Pesadelo", de Guillermo del Toro

Suspense foi indicado a 4 categorias no Oscar, incluindo a de Melhor Filme

ANGELO CORDEIRO | @ANGELOCINEFILO Publicado em 09/02/2022, às 17h11

Cate Blanchett revela que escuridão a atraiu para "O Beco do Pesadelo", de Guillermo del Toro - Divulgação/Searchlight Pictures
Cate Blanchett revela que escuridão a atraiu para "O Beco do Pesadelo", de Guillermo del Toro - Divulgação/Searchlight Pictures

Em "O Beco do Pesadelo", novo filme de Guillermo del Toro, e remake de um clássico de 1947, Cate Blanchett é Lilith, uma psicoterapeuta cujos clientes incluem os nomes mais poderosos da alta sociedade. Mas o que teria atraído a vencedora de dois Oscars para o papel?

Segundo a própria Cate Blanchett, o fato de trabalhar com Del Toro foi um dos fatores. "Eu não conhecia o romance em que se baseava, mas tinha visto o filme de Tyrone Power e Joan Blondell. Sempre fui fascinada por histórias, narrativas, imagens que são ambientadas no circo. Este tipo de estética e histórias não convencionais me atraem."

"Mas para mim, é claro, acima de tudo, o que me atraiu foi trabalhar com Guillermo. Não importava qual fosse o papel ou sobre o que fosse a história; eu tinha que fazê-lo.", continuou.

Sua personagem é uma das três mulheres que cruzam o caminho de Stanton Carlisle, protagonista vivido por Bradley Cooper, um oportunista errante que se ali a Lilith para conseguir o que quer. E isso atraiu Blanchett.

"Fiquei muito atraída pela escuridão da história. O fato de ter um anti-herói no centro da história; alguém que quebra e distorce as regras e sai impune, e de alguma forma transforma esta vitória questionável em um manifesto sobre como viver uma vida de sucesso." disse ela.

"Stan distorce a verdade para justificar a si mesmo. E eu interpreto uma personagem que aponta para isso, quem o denuncia. Lilith força Stan a ver quem ele realmente é. E isso me pareceu uma aposta forte: uma espécie de drama grego envolto nessa estética superficial, alegre e gloriosa. Realmente, era impossível dizer não.", confessou a atriz.

"O Beco do Pesadelo" é a segunda adaptação para os cinemas do romance escrito por William Lindsay Gresham. A primeira versão, lançada em 1947, era um noir assumido, e o novo filme adapta o estilo para o século XXI, com a personagem de Blanchett redefinindo a femme fatale.

"Ela é muito parecida com o arquétipo da femme fatale. Ela é extremamente ambígua, difícil de entender e é cheia de segredos, mas acho que o que descreve a femme fatale é este tipo de figura de sereia que, sem nenhum motivo específico, quer levar um homem à sua perdição.", conversou Blanchett sobre sua Lilith.

"Há um propósito no que ela faz. Não é a destruição pela destruição. Ela quer trazer à tona essa hipocrisia e escuridão ocultas, ou, pelo menos, empurrá-las para as chamas.", defendeu as atitudes da personagem.

"Dito isto, fiquei encantada em trabalhar com Bradley. Todo o meu material era com ele, e nunca havíamos trabalhado juntos. Foi algo verdadeiramente maravilhoso. E como Guillermo tinha um grande carinho por Lilith, apesar da escuridão da história, sempre havia uma atmosfera animada quando trabalhávamos com ele.", lembrou.

"Às vezes, era quase como rodar um filme mudo, porque ele dava certas direções e tudo parecia fluir livremente. Por mais sufocante que fosse o consultório de Lilith, a realidade não era assim. A experiencia de fazer o filme foi exatamente o oposto. Foi uma experiência extraordinária, um verdadeiro prazer." concluiu Cate Blanchett.

"O Beco do Pesadelo" recebeu quatro indicações ao Oscar. Para conferir a lista completa de indicados clique AQUI. O filme segue em cartaz nos cinemas brasileiros.