CineBuzz
Cinema / FALECIMENTO

Jean-Paul Belmondo, estrela do cinema francês, morre aos 88 anos

Morte foi confirmada pelo advogado do ator

ANGELO CORDEIRO | @ANGELOCINEFILO Publicado em 06/09/2021, às 13h46

Jean-Paul Belmondo, estrela do cinema francês, morre aos 88 anos - StudioCanal
Jean-Paul Belmondo, estrela do cinema francês, morre aos 88 anos - StudioCanal

O ator francês Jean-Paul Belmondo, estrela do cinema francês, faleceu aos 88 anos, nesta segunda (6). Sua morte foi confirmada por seu advogado e a causa não foi revelada, de acordo com a IndieWire.

Belmondo ficou mundialmente conhecido ao estrelar "Acossado", filme de Jean-Luc Godard, e um dos principais da Nouvelle Vague francesa. Em sua carreira, atuou em quase 100 longas, entre trabalhos para o cinema e a televisão.

Belmondo nasceu em 9 de abril de 1933 e seu primeiro trabalho foi como boxeador, fazendo sua estreia no ringue amador em 1949. As mudanças físicas em seu rosto, segundo o ator, o obrigaram a abandonar o esporte. Ele acabou freqüentando uma escola de teatro, fazendo a transição para o Conservatório de Artes Dramáticas aos 20 anos. Sua estreia nos palcos foi em 1953.

Seu primeiro papel no cinema foi em "À pied, à cheval et en voiture", de Jean-Pierre Cassel, de 1957, no entanto sua participação foi cortada. Foi no final dos anos 50 que Belmondo conheceu o aclamado diretor Jean-Luc Godard, sendo escalado para estrelar "Acossado" ao lado da atriz Jean Seberg. No filme, ambos vivem um casal em fuga após um crime.

O filme deu fama a Belmondo tanto na França quanto nos Estados Unidos. Depois, apareceu ao lado de Sophia Loren em "Duas Mulheres", de 1961, - o filme que rendeu a Loren o Oscar de Melhor Atriz - e voltaria a se reunir com Godard em 1961 em "Uma Mulher é uma Mulher".

Suas atuações em "Banana Peel", de 1963, e "O Homem do Rio", de 1964, fizeram de Belmondo uma estrela dos filmes de ação, comparado a James Dean e Humphrey Bogart. Sempre quis fazer filmes americanos, mas se recusava a aceitar papéis onde ficaria marcado como o "francês", por isso, recusou várias ofertas de Hollywood.

Belmondo foi indicado a dois prêmios BAFTA e ganhou um Cesar - o equivalente francês ao Oscar -, em 1989, por "Itinerário de um Aventureiro", de Claude Leloach.

Belmondo deixou três filhos.