CineBuzz
Cinema / EITA!

Diretor de "Cavaleiro da Lua" critica cenas no Egito de "Mulher-Maravilha 1984"

Mohamed Diab voltou a falar sobre a representatividade deturpada do país em produções cinematográficas

Thamyris Couto | @thamy_couto Publicado em 24/03/2022, às 10h44 - Atualizado às 11h15

"Mulher-Maravilha 1984" tem cenas no Egito criticadas pelo diretor Mohamed Diab - Divulgação/Getty Imagens: Photo by Leon Bennett/Warner Bros
"Mulher-Maravilha 1984" tem cenas no Egito criticadas pelo diretor Mohamed Diab - Divulgação/Getty Imagens: Photo by Leon Bennett/Warner Bros

O diretor Mohamed Diab, responsável por "Cavaleiro da Lua", voltou a falar sobre representatividade. E desta vez, criticou a outra produção da DC "Mulher-Maravilha 1984", em especial as cenas situadas no Egito. Definidas como "uma vergonha", o cineasta apontou a visão deturpada que os norte-americanos têm do país.

À revista SFX, Diab - que é egípcio - comentou sobre o assunto, ressaltando como o local é historicamente representado pela indústria do cinema. "É sempre exótico – chamamos de orientalismo. Isso nos desumaniza. Estamos sempre nus, sempre sexy, somos sempre maus, é sempre exagerado", apontou.

"Você nunca vê o Cairo", reclamou ele, antes de citar o filme da DC. "Você sempre vê a Jordânia se passando pelo Cairo, Marrocos se passando pelo Cairo, às vezes Espanha se passando pelo Cairo. Isso realmente nos irrita", seguiu explicando. "Lembro-me de ver Mulher-Maravilha 1984, houve uma grande sequência no Egito e foi uma vergonha para nós. Você tinha um sheik — o que não faz sentido hoje em dia. O Egito parecia um país da Idade Média. Parecia um deserto", criticou.

Esta não foi a primeira vez que Mohamed Diab citou defeitos em uma produção do universo da DC. "Adão Negro" também foi alvo recente do diretor, e não só o contexto o irritou, mas também a escolha do elenco. "Eu fiquei realmente irritado quando foi definido que o 'Adão Negro' seria ambientado em um país fictício do Oriente Médio como uma desculpa para não escalar atores egípcios, quando a história obviamente foi pensada para se passar no Egito", declarou ao Filfan. (via Comic Book)

Por fim, Diab explicou que "oportunidades de ser representativo não devem ser desperdiçadas. Mas não é totalmente errado já que o filme é baseado em uma série de quadrinhos que não menciona o Egito."

Definida como "uma história sobre identidade", "Cavaleiro da Lua" acompanhará o ex-agente da CIA e fuzileiro naval, Marc Spector (Oscar Isaac), que acaba se tornando um mercenário e, consequentemente, muito rico. Após ficar entre a vida e a morte em uma de suas missões, ele encontra, em uma visão, o deus egípcio Khonshu, o deus da Lua, que lhe concede a chance de ser um de seus agentes na Terra, transformando-o no Cavaleiro da Lua.

Entretanto, até tal jornada ser concluida, Marc enfrentará sérios problemas de distúrbios de personalidade, criando mais duas além de si mesmo e do herói sombrio: Mr. Knight e Steven Grant.

A série da Marvel chega ao Disney+ na próxima quarta-feira, dia 30 de março.

 


A Marvel está repleta de lançamentos em 2022! Para qual você está mais ansioso?

  • "Cavaleiro da Lua" (31 de março no Disney+)
  • "Doutor Estranho no Multiverso da Loucura" (5 de maio nos cinemas)
  • "Ms. Marvel" (8 de junho no Disney+)
  • "Thor: Amor e Trovão" (7 de julho nos cinemas)
  • "Mulher-Hulk" (Sem data de estreia definida no Disney+)
  • "Pantera Negra: Wakanda Para Sempre" (10 de novembro nos cinemas)

+ Já segue o CineBuzz nas redes sociais? Então não perde tempo!