CineBuzz
Cinema / CROSSOVER

Tom Holland expõe conversa com Florence Pugh sobre crossover entre Homem-Aranha e Viúva Negra

Ator revelou que ideia ainda falta ser apresentada para Kevin Feige

Thamyris Couto| @thamy_couto Publicado em 01/02/2022, às 12h08 - Atualizado às 12h26

Tom Holland expõe conversa com Florence Pugh sobre crossover entre Homem-Aranha e Viúva Negra - Divulgação/Sony Pictures e Marvel Studios
Tom Holland expõe conversa com Florence Pugh sobre crossover entre Homem-Aranha e Viúva Negra - Divulgação/Sony Pictures e Marvel Studios

Tom Holland revelou durante uma de suas entrevistas que conversou com a atriz Florence Pugh sobre sua vontade de realizar um crossover entre o Homem-Aranha e a Viúva Negra, mas a ideia ainda precisa ser firmada e apresentada à Kevin Feige, presidente da Marvel Studios e produtor dos filmes dos dois heróis.

Ao podcast da BBC 2, The Zoe Ball Breakfast Show, o intérprete de Peter Parker disse que "[Um crossover de Homem-Aranha e Viúva Negra] ainda não foi sugerido aos grandes chefes, mas Florence e eu certamente conversamos sobre isso e espero que um dia possamos fazer acontecer. Seria muito legal."

Depois desta revelação de Holland fica ainda mais fácil de imaginar um filme unindo os dois personagens no Universo Cinematográfico da Marvel, não é mesmo? Ainda assim, tudo é apenas um esboço na mente do ator, e falta a aprovação do estúdio, fator primordial para o início de algum projeto.

Florence Pugh assumiu o manto da Viúva Negra em 2021, mais especificamente após a morte de Scarlet Johansson em "Vingadores: Ultimato". Todo esse raciocínio de tempo é explicado no filme da heroína e também na série do Disney+, "Gavião Arqueiro", onde Yelena Belova também deu um show de atuação e marcou sua presença no MCU.

Enquanto isso, "Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa" continua em cartaz nos cinemas e fazendo muito sucesso, uma vez que se tornou o sexto filme de maior bilheteria de todos os tempos. O longa arrecadou US$ 1,69 bilhão e com isso, também é o quarto filme mais bem sucedido nos Estados Unidos. No Brasil, a produção segue em primeiro lugar com seus R$ 4.59 milhões.