CineBuzz
Curiosidades / E se...? / QUANDO VEM?

E se… Amy Adams já tivesse um Oscar?

A atriz já foi indicada 6 vezes ao Oscar e até agora nada… E se…? Quando?

Angelo Cordeiro | @angelocinefilo Publicado em 20/08/2021, às 15h45

E se... Amy Adams já tivesse um Oscar? - Divulgação/Disney
E se... Amy Adams já tivesse um Oscar? - Divulgação/Disney

No dia em que a atriz Amy Adams completa 47 anos de idade, nós do CineBuzz nos questionamos: e se ela já tivesse um Oscar? Quando ela teria vencido? Quem deixaria de ganhar?

Bem, como muitos sabem, uma estatueta do Oscar é o prêmio máximo que muitos atores, atrizes, diretores, roteiristas e todos aqueles que fazem parte da indústria cinematográfica querem colocar em suas estantes.

Amy Adams, provavelmente, também quer uma pra ela, mas, até hoje, após 6 indicações, ela ainda não chegou lá. Vamos tentar explicar aqui o porquê dela nunca ter vencido, passando ano a ano de suas indicações e lembrar também algumas de suas atuações que foram esnobadas pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, a responsável pelo Oscar.

 

  • ONDE TUDO COMEÇOU

Amy Adams iniciou sua carreira artística não no cinema e sim na dança, quer dizer, ela até tentou ser bailarina, mas acreditava não ter talento para a coisa e rumou para o teatro, onde atuou em algumas peças musicais.

Para chegar ao cinema, Amy Adams mudou-se para Los Angeles, em 1999, e participou de diversas audições, a partir das quais conseguia alguns pequenos papéis em filmes e séries. No entanto, aos 30 anos, Amy Adams quase desistiu da carreira de atriz ao ser demitida do seriado “Dr. Vegas” e colecionar frustrações.

 

  • A PRIMEIRA INDICAÇÃO

Até que, em 2005, Amy Adams foi escalada para a comédia dramática “Retratos de Família”, filme pelo qual conseguiu sua primeira indicação ao Oscar, na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante. Pelo mesmo filme, ainda venceu o Independent Spirit Awards de Melhor Atriz Coadjuvante e um prêmio do júri no Festival de Sundance, onde o filme estreou.

No entanto, para vencer o Oscar, pelo menos duas coisas são necessárias: uma grande campanha por parte do estúdio que distribui o filme e uma trajetória de premiações. Amy Adams até conseguiu colecionar alguns prêmios por “Retratos de Família”, os quais provavelmente a colocaram entre as indicadas ao Oscar, só que a campanha da vencedora daquele ano, Rachel Weisz, por “O Jardineiro Fiel”, fez a diferença.

Pelo menos, sua atuação em “Retratos de Família”, como uma jovem grávida que vê o mundo com ingenuidade, a colocou definitivamente nos holofotes de Hollywood, e participações em produções maiores começaram a lhe surgir.

 

  • ATRIZ DRAMÁTICA

Nos anos seguintes, após fazer sucesso no musical “Encantada” da Disney, Amy Adams recebeu mais algumas indicações ao Oscar, sempre na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante e em papéis dramáticos.

Em 2009, ela foi indicada por “Dúvida”, junto da colega de elenco Viola Davis – a veterana Meryl Streep também foi indicada, mas como Melhor Atriz. Naquele ano, a vitória na categoria coadjuvante foi da espanhola Penélope Cruz, por “Vicky Cristina Barcelona”. Cá entre nós, foi quando Amy chegou mais perto, já que a concorrência estava mais equilibrada.

Em 2011, Amy foi indicada por “O Vencedor”, e Melissa Leo, com quem ela contracena, saiu como vitoriosa na categoria. Vitória incontestável, já que Melissa já havia vencido outros prêmios na temporada, como o Globo de Ouro e o prêmio do Sindicato de Atores – um dos principais indicativos do vencedor do Oscar.

Em 2013, novamente Amy foi indicada em um ano no qual uma “papa prêmios” fora indicada. Sua indicação por “O Mestre” não foi páreo para Anne Hathaway, que venceu praticamente tudo por seu papel de atriz coadjuvante no musical “Os Miseráveis”.

 

  • ATRIZ LISTA A

Após colecionar indicações, o clamor dos fãs da atriz para que a Academia desse um Oscar a Amy Adams foi ganhando força, mas essa aclamação não se comparava ao mesmo clamor que recebera Leonardo DiCaprio, que também batalhava pelo seu primeiro Oscar, o qual veio somente em 2016, por “O Regresso”.

Se até então, Amy ainda não havia protagonizado muitas produções, tudo parece haver mudado a partir de “Trapaça”, de 2014, filme pelo qual Amy Adams ganhou o seu primeiro Globo de Ouro, na categoria de Melhor Atriz por Comédia ou Musical.

Apesar da primeira indicação ao Oscar na categoria de Melhor Atriz, a estatueta não veio mais uma vez. Cate Blanchett foi a vencedora pelo filme “Blue Jasmine”, em uma atuação que já havia lhe rendido prêmios no BAFTA, Globo de Ouro e Sindicato dos Atores. Ou seja, seria difícil Amy Adams vencê-la.

 

  • DUPLAMENTE ESNOBADA

Quando Amy Adams parecia estar bem próxima de seu Oscar, a Academia do Oscar passou a cometer injustiças. Se antes a atriz era indicada e perdia – e como já vimos, derrotas até aceitáveis – o cenário piorou quando ela passou a ficar de fora até mesmo das indicadas.

E, em 2017, a esnobada veio em dose dupla. A primeira foi por “Animais Noturnos”, suspense no qual ela atua ao lado de Jake Gyllenhaal. O filme não foi muito lembrado no Oscar daquele ano, tendo somente uma indicação de Melhor Ator Coadjuvante para Michael Shannon.

A segunda, e mais dolorida das esnobadas, veio pelo filme “A Chegada”, considerado por muitos a sua melhor atuação em toda a carreira. Por ele, a atriz foi indicada ao BAFTA, Globo de Ouro e Critic’s Choice de Melhor Atriz, e no Oscar sequer foi lembrada.

Poderia rolar pelo menos uma dessas indicações para Amy no Oscar de 2017, principalmente ao olharmos para as indicadas em Melhor Atriz, já que é completamente questionável a presença de Meryl Streep pelo fraco “Florence Foster Jenkins” – ok, eu sei que é a Meryl.

Amy Adams até poderia perder a estatueta – o que provavelmente iria acontecer mesmo, já que Emma Stone estava vencendo tudo por “La La Land” – mas sua indicação era merecida por um dos filmes.

 

  • A ÚLTIMA INDICAÇÃO ATÉ ENTÃO

Em 2019, Amy Adams conseguiu sua 6ª indicação ao Oscar, novamente na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante, pelo filme “Vice”, no qual contracena ao lado de Christian Bale. Não foi uma atuação muito celebrada, portanto, era difícil acreditar em sua vitória. A vencedora foi Regina King, por “Se a Rua Beale Falasse”.

 

  • QUANDO VEM?

De lá pra cá, Amy Adams apareceu ainda em “Era Uma Vez um Sonho” e “A Mulher na Janela”, ambos distribuídos pela Netflix, em papéis nada elogiados, e também em “Liga da Justiça de Zack Snyder”, novamente como Lois Lane.

Entre seus próximos projetos, sua grande chance de pintar novamente no Oscar pode estar no filme “The True American”, do diretor Pablo Larraín, que já viu Natalie Portman ser indicada ao Oscar por seu filme “Jackie”. Será que vem aí?

Depois dessa leitura, e se Amy Adams tivesse um Oscar, por qual filme você acha que ela ganharia? Pela nossa análise, poderia ter acontecido em 2009. Concorda?