CineBuzz
Famosos / NOVIDADE

Elliot Page, estrela de "The Umbrella Academy", assume ser trans

Estrela da produção da Netflix compartilhou novidade nas redes sociais

Redação Publicado em 01/12/2020, às 14h00 - Atualizado às 17h00

Elliot Page em "The Umbrella Academy" - Reprodução/Netflix
Elliot Page em "The Umbrella Academy" - Reprodução/Netflix

Elliot Page, uma das estrelas da série "The Umbrella Academy", da Netflix, usou seu perfil nas redes sociais para revelar que é um homem trans. Nesta terça-feira (1º), o ator publicou um longo texto assumindo a sua identidade e revelando a mudança de nome:

"Olá, amigos. Eu quero compartilhar com vocês que eu sou trans e meus pronomes são ele/elu, e meu nome é Elliot", escreveu. "Eu sou sortudo por estar escrevendo isso. Por estar aqui. Por ter chegado neste momento da minha vida".



Em seguida, Elliot, de 33 anos, afirmou que está feliz por ter se assumido, mas sua alegria ainda é "frágil". "A verdade é que apesar de me sentir profundamente feliz agora, e sabendo do tanto de privilégio que eu carrego, eu também estou com medo. Com medo da invasão, do ódio, das piadas e da violência".

+Leia mais: Ator de "Meninas Malvadas" anuncia noivado com o namorado; saiba mais

Além de ter atuado na produção da Netflix, Page também é conhecido por suas participações nos filmes "Juno", pelo qual foi indicado ao Oscar em 2008; "A Origem" e na franquia "X-Men", em que interpretou a personagem Kitty Pride.

Na Netflix, além de "The Umbrella Academy", o ator também esteve na temporada mais recente de "Crônicas de São Francisco", série que conta a história de uma família inconvencional, formada por pessoas LGBTQIA+. "Vou oferecer todo o apoio que puder e continuar a lutar por uma sociedade mais amorosa e igualitária", ainda declarou Elliot em sua publicação. Confira o relato completo:

+ Leia mais: 20 séries sobre o universo LGBTQIA+ para ver no streaming

"Olá, amigos, eu queria compartilhar com vocês que sou trans, meus pronomes são ele/elu, e meu nome é Elliot. Eu me sinto sortudo por poder escrever isso. Por estar aqui. Por ter chegado neste ponto da minha vida.

Eu me sinto infinitamente inspirado por tantos na comunidade trans. Obrigado por sua coragem, sua generosidade, e por trabalhar incessantemente para fazer deste mundo um lugar mais inclusivo e compassivo. Eu sempre oferecei qualquer apoio que eu puder dar à comunidade, e continuarei lutando por uma sociedade mais amorosa e igualitária.

Eu também peço por paciência. Meu prazer é real, mas também frágil. A verdade é que, apesar de me sentir profundamente feliz agora e saber quanto privilégio eu carrego, eu também estou assustado. Eu estou assustado pela invasividade, o ódio, as "piadas" e a violência. Para ser claro, eu não estou tentando arruinar um momento prazeroso e que eu celebro, mas eu quero mostrar a situação toda. As estatísticas são impressionantes. A discriminação em relação a pessoas trans é abundante, insidiosa e cruel, resultando em consequências horríveis. Só em 2020, foi reportado que ao menos 40 pessoas transgêneras foram assassinadas, a maioria eram mulheres trans negras ou latinas.

Para os líderes políticos que lutam para criminalizar o atendimento de saúde às pessoas trans, negando o nosso direito de existir, e para todas as pessoas que continuam usando suas plataformas enormes para falar coisas hostis às pessoas trans: vocês têm sangue em suas mãos. Vocês incentivam uma onda de ódio vil e humilhante que cai sobre os ombros da comunidade trans, onde 40% dos adultos já tentaram suicídio. Chega! Você não está sendo 'cancelado', está machucando pessoas. Eu sou uma dessas pessoas, e nós não ficaremos calados diante desse tipo de ataque.

Eu amo ser trans. Eu amo ser queer. Quanto mais me aproximo do meu eu verdadeiro e o abraço, mais posso sonhar, mais meu coração cresce, e mais eu prospero. Para todas as pessoas trans que lidam com assédios, problemas de autoestima, abuso e ameaças de violência todos os dias: eu vejo vocês, eu amo vocês e farei de tudo para mudar o mundo para melhor.

Obrigado por ler isso.

Todo o meu amor,

Elliot."