CineBuzz
Facebook CineBuzzTwitter CineBuzzInstagram CineBuzz
News / DENÚNCIA

Agressão, fraude trabalhista e salários atrasados: Ex-funcionário denuncia bastidores do festival geek UcconX

Hugo Melo diz ter trabalhado na organização do evento e testemunhado diversos problemas na organização

Henrique Nascimento | @hc_nascimento Publicado em 27/07/2022, às 20h30

Agressão, fraude trabalhista e salários atrasados: Ex-funcionário denuncia bastidores do festival geek UcconX - Divulgação/UcconX
Agressão, fraude trabalhista e salários atrasados: Ex-funcionário denuncia bastidores do festival geek UcconX - Divulgação/UcconX

Marcado para acontecer entre os dias 27 e 31 de julho, em São Paulo, o festival geek UcconX chamou menos atenção em sua estreia pelas celebridades confirmadas, como Millie Bobby Brown ("Stranger Things") eRupert Grint ("Harry Potter"), do que pelas polêmicas envolvendo a organização e denúncias de que tudo, na verdade, não passava de um golpe.

Um suposto ex-funcionário do evento, Hugo Melo, que teria trabalhado entre julho de 2021 a janeiro de 2022 na UcconX, denunciou uma série de problemas, testemunhado ao longo dos seis meses de trabalho, e acusou a organização do festival de golpe, fraude trabalhista, atraso de salários e até mesmo agressão.

Hugo relatou que, ao ser abordado para participar do projeto, achou a ideia boa até demais para ser verdade, já que eles prometiam um evento gigantesco, executado pela empresa responsável pelas Olímpiadas do Rio de Janeiro em um espaço de mais de 140 mil m². Chris Hemsworth, o Thor do Universo Marvel, inclusive, seria um dos artistas já confirmados.

O trabalho começou e, de acordo com Hugo, era "muito massa": "A gente realmente deixava a imaginação correr e prometia mundos e fundos ao público, porque era isso que nos era prometido", afirmou o rapaz. Nessa época, o evento era encabeçado por dois sócios, que teriam idealizado o festival desde o princípio, e mais dois, que vieram depois e "sofriam um certo 'bullying' dos coleguinhas".

Hugo ainda disse que, nos dois meses e meio seguintes, a equipe só cresceu e o projeto parecia crescer ao ponto que havia sido prometido. No entanto, o rapaz começou a sentir os problemas em outubro, quando foi anunciada a pré-venda de ingressos para a UcconX:

"O site não estava apto, o sistema não estava pronto, não tínhamos atrações confirmadas, nada. Não era a hora de anunciar pré-venda. Ninguém entendeu a insistência da chefia naquilo. Como era esperado, em menos de uma hora o site saiu do ar", relembrou. Ele disse que, para esconder o fracasso, a organização anunciou que os ingressos haviam esgotado e a culpa foi colocada em um dos sócios adjuntos, que foi excluído da associação.

Na sequência, Hugo diz que os salários começaram a atrasar, além de os funcionários trabalharem sob o contrato de PJ, mas com características de CLT, o que configuraria fraude trabalhista. Foi quando o rapaz começou a investigar e descobriu que o projeto havia surgido em 2019, ideia de dois amigos sem experiência no segmento, mas que decidiram realizá-lo mesmo assim.

Eles teriam se juntado a um terceiro sócio e saído em busca de investidores. Um deles teria investido R$ 8 milhões e, com o dinheiro, os sócios começaram a gastar "adoidado": "Estranhamente, nas semanas seguintes, os três sócios chegaram na empresa com três Porsches novos", relatou Hugo, lembrando também que havia uma loja da marca de carros de luxo na frente do escritório.

Quando o investidor soube que o dinheiro havia acabado em poucos meses e os sócios não haviam como prestar contas sobre como os R$ 8 milhões haviam sido investidos, ele decidiu processar criminalmente os três responsáveis. Nesse meio tempo, de acordo com Hugo, eles teriam contratado uma empresa terceirizada para trabalhar no projeto e, durante uma reunião, responsabilizou a contratada pelos gastos. Um dos sócios, inclusive, teria agredido fisicamente, com "socos e pontapés", a representante da empresa.

Em novas publicações, Hugo seguiu relatando que o projeto foi interromido durante a pandemia de coronavírus, mas continuou em 2021, depois de outros problemas e sócios/investidores serem lesados, além dos funcionários, que continuavam sem receber pagamento pelos serviços prestados.

Segundo o jovem, em dezembro de 2021, começou uma aproximação da organização com a BBL, que se define como uma "holding de entretenimento especializada em gaming e e-sports". A ideia era dar um "up" do no projeto e finalmente tirá-lo do papel, mas Hugo relembra que as dificuldades continuaram:

"Alguns funcionários passaram o Natal sem poder comprar presente para os filhos pequenos, numa dificuldade extrema. Gente que foi despejada de casa por falta de aluguel, gente que quase foi presa por pensão em atraso. Mas nada abalou as festas dos sócios, que celebravam em grande estilo.

Logo depois, eles teriam convocado uma reunião com os funcionários e "culparam a gente. (...) Por nossa incompetência, o evento não conseguia deslanchar. Disseram que nosso pagamento não seria prioridade, que eles pagariam as contas de luz antes de nos pagar. E por fim ainda pediram [para] que continuássemos a trabalhar de GRAÇA por AMOR ao evento".

Hugo afirmou que essa foi a conta d'água e, a partir da reunião, os funcionários romperam com a organização do evento. No entanto, algum tempo depois, eles descobriram que a BBL havia assumido a UcconX, que "estava mais viva do que nunca". O trabalho feito pelas equipes antigas foi apagado e o festival refeito.

Antes da estreia, foram anunciados o cancelamento das vindas de Millie Bobby Brown e George Takei ("Star Trek"). A estrela de "Stranger Things" estaria com covid-19 e, no caso do ator, o seu marido teria testado positivo para o coronavírus e estaria com a doença. Nas redes sociais, internautas batizaram o evento de "Fyre Festival Geek", em referência ao festival de música nos Estados Unidos, que não deu certo e lesou milhares de pessoas.

CineBuzz entrou em contato com a BBL para pedir um posicionamento sobre o caso. Através de uma nota oficial, a empresa disse lamentar a situação denunciada por ex-funcionários, mas não se responsabiliza pelo ocorrido antes de fevereiro de 2022, quando assumiu o evento. Confira o comunicado na íntegra:

"A BBL, empresa one-stop-shop que opera desde 2018 no mercado de games e esports, adquiriu o UcconX (Universal Creators Conference Experience) em fevereiro de 2022 e não tem relação com o evento do passado. As reclamações são referentes ao período de 2021, que antecede a aquisição do UcconX pela atual organizadora. A BBL se solidariza e lamenta essa situação."


+ Já segue o CineBuzz nas redes sociais? Então não perde tempo!