CineBuzz
News / ACIDENTE

Avião quebra em duas partes durante pouso na Índia e deixa ao menos 16 mortos

Porta-voz da companheira Air India Express afirmou que há muitos feridos

Redação Publicado em 07/08/2020, às 14h47

Acidente aconteceu na Air India - Pixabay
Acidente aconteceu na Air India - Pixabay

Um avião do modelo Boeing 737 se partiu em dois durante um pouso no aeroporto de Calicute, na Índia, nesta sexta-feira (7). Segundo a CNN, as informações preliminares das autoridades locais afirmam que pelo menos 16 pessoas morreram, entre elas os dois pilotos e quatro que ficaram presas nas ferragens.

Mais de 100 feridos foram levados para o hospital e, segundo o inspetor geral da Força Central de Segurança Industrial, CV Anand, há 46 pessoas que estão gravemente machucadas. O trabalho de evacuação do avião também ainda não foi finalizado.

Um dos porta-vozes da companhia Air India Express afirmou que há muitos feridos. O avião, que havia decolado do aeroporto de Dubai, carregava 190 pessoas, com 174 passageiros, 10 crianças, dois pilotos e quatro tripulantes.

+Leia mais: Em Santa Catarina, avião cai enquanto mulher passava na rua: "Nasci de novo"

O voo era operado pelo governo do país, em uma missão de repatriação de indianos em razão das restrições de viagem internacional provocadas pela pandemia de coronavírus.

Segundo a Direção Geral de Aviação Civil do país, a aeronave derrapou na pista durante o pouso sob uma chuva forte no aeroporto internacional Kozhikode por volta das 19h40 (horário local). Em comunicado a agência afirmou que, depois da aterrissagem, o avião deslizou até cair em um vale e sua fuselagem se partiu.

"O voo IX1344 da Air India Express operado pela aeronave B737 de Dubai para Calicute ultrapassou a pista de Kozhikode às 1941 horas da noite. Nenhum incêndio foi relatado no momento do pouso. Existem 174 passageiros, 10 crianças, 2 pilotos e 5 tripulantes a bordo do avião. Conforme os relatórios iniciais, as operações de resgate estão em andamento e os passageiros estão sendo levados ao hospital para atendimento médico", diz um comunicado do Ministério da Aviação.