CineBuzz
TV e Séries / TV / ENTREVISTA

Artistas revelam os bastidores e comentam o processo de criação das animações da Disney

CineBuzz conversou com o elenco de "Do Esboço à Realidade", nova série do Disney+

ANGELO CORDEIRO | @ANGELOCINEFILO Publicado em 29/04/2022, às 12h11

Artistas revelam os bastidores e comentam o processo de criação das animações da Disney - Divulgação/Disney/Richard Harbaugh
Artistas revelam os bastidores e comentam o processo de criação das animações da Disney - Divulgação/Disney/Richard Harbaugh

O mundo Disney faz parte do imaginário de muitas pessoas, seja das crianças e adultos que assistem às animações do estúdio e até dos próprios artistas que desenharam tantos personagens que se tornaram icônicos.

"Do Esboço à Realidade", nova série documental do Disney+, aproxima o público da mesa de trabalho e da vida de alguns destes artistas e animadores da Disney revelando os bastidores do processo de criação.

Imagine então ficar ainda mais próximo e poder conversar com estes designers. O CineBuzz foi convidado pela Disney a participar de uma junket e conversar com Eric GoldbergGabby CapiliHyun Min LeeJin KimMark Henn e Samantha Vilfort, criadores respectivos dos seguintes personagens: Gênio, de “Aladdin”; Kuzco, de “A Nova Onda do Imperador”; Olaf, de “Frozen”; Capitão Gancho, de “Peter Pan”; Jovem Simba, de “O Rei Leão”; e Mirabel, de “Encanto”.

Mas por que estes personagens e designers? Jason Sterman, diretor e produtor executivo de "Do Esboço à Realidade" falou sobre a escolha: "Disney+ e eu queríamos personagens que tivessem uma conexão especial com seus criadores, por isso, os personagens dessa temporada foram escolhidos pelos próprios artistas". 

Eric Goldberg, criador do Gênio, de “Aladdin”, foi o primeiro a falar sobre o processo de criação dos personagens após ser questionado se acreditava que o designer é responsável por um bom personagem ou se o personagem é que faz um bom designer.

"Acredito que eles meio que se alimentam, um precisa do outro. O designer precisa entender quem o personagem é e compreender como ele se encaixa na história.", apontou.

Mark Henn, designer do jovem Simba, completou afirmando que "o designer em si é o primeiro passo do personagem, ele precisa compreender se o personagem tem apelo, se é interessante ou se é acessível. É como conhecer uma pessoa, você precisa se sentir atraído por ela e espera que ela vá se tornando cada vez mais atraente."

A partir dessa relação entre designer e personagem, o repórter Angelo Cordeiro, de CineBuzz, perguntou aos artistas como a tecnologia influencia no processo de criação e qual a diferença entre criar um personagem hoje e há alguns anos, quando a tecnologia ainda não era uma realidade.

"Tudo começa com o desenho à mão. Mas a partir de certo momento, a tecnologia permitiu realizar testes com o personagem e então melhorar alguns aspectos dele, caso necessário", afirmou Mark Henn.

"A computação gráfica permitiu que o artista pudesse inserir mais detalhes no personagem. O desenho à mão é mais simples enquanto a computação gráfica traz mais realismo.", disse Goldberg.

Quando questionados sobre qual estilo é o de sua preferência, à mão ou computação gráfica, Jin Kim, designer do Capitão Gancho, de “Peter Pan” foi veemente: "Eu prefiro o desenho à mão, há uma vivacidade no processo."

Hyun Min Lee, criadora do Olaf, de “Frozen”, apontou que, hoje em dia, o designer que utiliza a computação gráfica fica mais "preso" ao processo de criação: "o desenho à mão te dá mais liberdade, a computação gráfica parece exigir que o personagem seja completamente simétrico."

Processos à parte, existe certo apelo nostálgico e emocional em fazer parte da "família Disney" e os artistas comentaram como lidam com tal sentimento.

"Todo mundo cresce com a Disney em algum nível, e pra mim, particularmente, é excitante, eu me sinto sortuda por entrar na casa de outras pessoas", respondeu com entusiasmo Samantha Vilfort, designer de Mirabel, de "Encanto".

"Fazer parte disso é como estar conectado a todas as outras pessoas que vieram antes de nós", afirmou Goldberg. "Minha família me manda fotos dos créditos quando meu nome aparece na tela, é muito legal", revelou Gabby Capili, criadora de Kuzco, de “A Nova Onda do Imperador”.

"Quando eu deixei a Disney por dois anos e voltei para a Coréia do Sul, eu senti falta, eles eram como uma família pra mim. Ainda tinha algumas pessoas de quem eu não gostava, mas isso é família." afirmou Jin Kim, para o riso generalizado dos presentes.

Em uma rodada final, os artistas comentaram sobre o principal equívoco das pessoas em relação ao processo de criação dos personagens.

"Alguns acreditam que a computação gráfica tornou o processo mais fácil.", afirmou Vilfort. "E continuamos fazendo milhares de desenhos durante o processo. A computação gráfica não é apenas apertar um botão", completou Goldberg.

"Alguns acreditam que a tecnologia tornou o processo mais rápido e mais barato, mas não é bem assim, ainda existem centenas de artistas e desenhos acontecendo nos bastidores". concluiu Mark Henn

SOBRE "DO ESBOÇO À REALIDADE"

Os episódios da série documental do Disney+ apresentam os artistas ilustrando personagens dos filmes da Walt Disney Animation Studios que eles aju0daram a criar, além de também contar suas histórias sobre como chegaram à Disney.

Assista ao trailer de "Do Esboço à Realidade":


+ Já segue o CineBuzz nas redes sociais? Então não perde tempo!