CineBuzz
Facebook CineBuzzTwitter CineBuzzInstagram CineBuzz
TV e Séries / Séries

“O homem mais odiado da internet”, “rezar e obedecer” e mais: 5 séries documentais para assistir na Netflix

Confira 5 séries documentais sobre casos reais que estão disponíveis na Netflix

Isabella Bisordi Publicado em 01/08/2022, às 22h00

Confira dicas de séries documentais disponíveis na Netflix - Crédito: Reprodução
Confira dicas de séries documentais disponíveis na Netflix - Crédito: Reprodução

Se você se interessa por séries e filmes sobre crimes reais, não pode perder essa lista! Selecionamos 5 séries documentais que estão disponíveis na Netflix para você acompanhar e conhecer novas histórias impressionantes. 

Confira e prepare a pipoca para maratonar suas favoritas:

1. O homem mais odiado da internet

A série, que foi ao ar na última quarta-feira (27) na plataforma de streaming, conta a história de Hunter Moore, um homem de 24 anos que, em 2010, fundou um site de pornografia de vingança chamado IsAnyoneUp, que tinha como objetivo expor e humilhar pessoas com fotos e vídeos íntimos que eram enviadas para ele. Até que sua página fosse derrubada em 2012, Moore alcançou uma enorme base de fãs e se denominava “destruidor profissional de vidas”. Na produção, acompanhamos o trabalho de Charlotte Law, uma mulher de 40 anos que, ao ver as fotos de sua filha publicadas no site, não descansou até buscar justiça, além de entrevistas exclusivas de outras vítimas.

Crédito: Reprodução
Crédito: Reprodução

2. Rezar e obedecer

A produção conta a história da Igreja Fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (com a sigla FLDS, em inglês), uma seita religiosa nos Estados Unidos, liderada por Rulon Jeffs durante décadas e, em seguida, por seu filho, Warren Jeffs. Após denúncias e investigações, foram descobertos diversos casos envolvendo pedofilia, abuso sexual e poligamia entre os membros da igreja. Além de imagens inéditas da comunidade na época, a minissérie também reúne depoimentos de mulheres que sobreviveram à seita e, por muito tempo, foram submetidas a situações de abuso e viviam sob constantes ameaças.

Crédito: Reprodução
Crédito: Reprodução

3. Conversando com um serial killer: o palhaço assassino

Nos anos 1970, em Chicago, um homem chamado John Wayne Gacy era conhecido por vestir-se de “Pogo, o Palhaço” ou “Patches, o Palhaço”, personagens criados por ele para entreter crianças em diversos trabalhos sociais que realizava. O que ninguém imaginava era que, por trás de toda aquela maquiagem, estava um homem cruel, que sequestrou, torturou e assassinou 33 homens, enterrando-os na sua própria casa. Foi apenas em 1978 que Gacy foi detido e uma equipe de investigadores descobriu um cenário sinistro no local onde morava. Nesta série, temos acesso a muitas horas de conversa nunca antes divulgadas com o assassino, como suas falas sobre os crimes que cometeu, seu julgamento e também seu estado mental. 

Crédito: Reprodução
Crédito: Reprodução

4. The Staircase

Em dezembro de 2001, o escritor Michael Peterson entrou em contato com a polícia para informar que sua esposa, Kathleen, caiu de uma escada da mansão onde moravam, em Durham, na Carolina do Norte. Quando chegaram ao local, a mulher já estava morta e ensanguentada. Depois dessa noite, o romancista de 58 anos teve sua vida revirada e, mais tarde, foi acusado de ter assassinado sua mulher jogando-a da escada. Apesar da acusação, Peterson nunca assumiu ter cometido o crime. Originalmente, o documentário foi realizado em 2004, com novos episódios lançados em 2013 e os três últimos episódios lançados em 2018 pela Netflix. Nele, acompanhamos diversas cenas gravadas a partir do dia em que Michael fora acusado do crime, todo o caso e o julgamento final. 

Crédito: Reprodução
Crédito: Reprodução

5. A garota da foto

Certa noite de abril do ano de 1990, em Oklahoma City, nos Estados Unidos, três homens encontraram, à beira de uma estrada, uma mulher gravemente ferida e a levaram para o hospital, onde ela morreu três dias depois. Seu marido, que atendia pelo nome de Clarence Hughes, a identificou como Tonya Hughes. Entretanto, sua morte desencadeou uma série de descobertas assustadoras, a começar pelo seu nome. Conhecida na verdade como Sharon Marshall, a mulher era uma dançarina de strip tease em Wisconsin, casada e mãe de um menino. Nascida Suzanne Marie Sevakis, em 1969, fora raptada ainda criança por seu padrasto, Franklin Delano Floyd, o homem que agora se dizia seu marido e pai de seu filho. Durante o tempo que viveram juntos, diversas agressões e outros crimes foram cometidos pelo homem. Mais tarde, após a morte da mulher, seu filho foi sequestrado por Franklin e encontrado amarrado a uma árvore. A partir de todos estes acontecimentos, os pontos de uma história que durou décadas vão sendo ligados, crimes vão sendo revelados até que, em 2014, finalmente descobrem a verdadeira identidade de Suzanne.

Crédito: Reprodução
Crédito: Reprodução


+ Já segue o CineBuzz nas redes sociais? Então não perca tempo!