CineBuzz
Busca
Facebook CineBuzzTwitter CineBuzzInstagram CineBuzz
#CineBuzzJáViu / CINEMA NACIONAL

“Coração de Neon” reforça a importância de produções independentes e nacionais ao abordar temática delicada | #CineBuzzIndica

“Coração de Neon” estreia dia 9 de março nos cinemas, e é o primeiro filme com tecnologia Dolby Atmos do Brasil. Confira!

Paulo Marinho | @_senhormarinho - Publicado em 07/03/2023, às 14h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
“Coração de Neon” estreia dia 9 de março nos cinemas, e é o primeiro filme com tecnologia Dolby Atmos do Brasil. - Reprodução/IHC
“Coração de Neon” estreia dia 9 de março nos cinemas, e é o primeiro filme com tecnologia Dolby Atmos do Brasil. - Reprodução/IHC

“Coração de Neon” é a mais nova produção nacional que chega aos cinemas nesta quinta-feira (9), em 150 salas do país. A obra é do gênero drama, mas traz pitadas de humor e gatilhos de ação no decorrer de seus 100 minutos de duração.

No filme, acompanhamos parte da rotina de Fernando (Lucas Estevan Soares) e seu pai, Lau (Paulo Matos), que trabalham com um carro de telemensagem pelas ruas de Boqueirão, bairro localizado na cidade de Curitiba. O veículo, batizado de Coração de Neon -ou “Boquelove”, como apelidou o jovem rapaz-, mantém as vidas do pai e filho com uma leveza transmitida ao espectador logo nas primeiras cenas.

Fernando e Lau sempre sonharam em se mudar para os Estados Unidos, e enquanto espalham amor e carinho com suas telemensagens, ambos jamais imaginariam que seu plano seria tragicamente interrompido após cruzarem o caminho de Gomes (Wagner Jovanaci).

Se à primeira vista “Coração de Neon” parece apenas um novo hit ingênuo de romance cinematográfico, toda essa sensação desaparece em menos dos 15 minutos iniciais, nos trazendo uma temática atual, real e sensível sobre a violência doméstica.

Enquanto Gomes é o estereótipo de homem conservador e militar que busca exercer a sua toxicidade fisicamente e emocionalmente contra as mulheres com quem se relaciona, o outro lado da balança está em Lau e até mesmo em Fernando, que apesar dos momentos de revolta não esconde sua essência bondosa e amorosa.

“Coração de Neon” reforça a importância de produções independentes e nacionais com uma temática necessária | #CinebuzzIndica
"Coração de Neon" aborda violência doméstica de maneira cuidadosa e necessária. (Reprodução/IHC)

FORA DO EIXO RIO-SP

Em “Coração de Neon” somos levados para longe do chamado eixo Rio-SP, e conseguimos visitar um novo cenário urbano para além das terras paulistas e fluminenses. Mesmo que muitas produções independentes rodem as diversas partes do país, podemos trazer “Coração de Neon” para uma categoria de maior destaque, afinal, além de ter sido elogiado em Cannes, também foi classificado como o “primeiro longa do novo cinema popular brasileiro”.

EDIÇÃO

A obra é um verdadeiro show de talentos. Criado por Lucas Estevan Sorares, que além de ator, foi diretor, editor, escritor e cantou parte da trilha sonora do filme, Rhaissa Gonçalves também entra na equipe e desempenha um grande papel como produtora.

As quebras e dinâmicas entre as cenas são bem desenvolvidas e exploradas, levando o espectador à uma viagem imersiva para o subúrbio curitibano. Além disso, encontre atuações bem desempenhadas e algumas capturas de cenas com moradores locais, o que dá ao filme um charme ainda maior nessa experiência de imersão.

Aliás, imersão é a palavra-chave do filme, pois além de visitarmos outros cenários urbanos, podemos sentir e desenvolver sensações sobre os personagens de acordo com os enquadramentos e cortes da edição. Se com Gomez os closes agitados e movimentados da câmera nos traz agonia e uma frustração muito bem executada, com Fernando o foco em seu sorriso ou até mesmo em seu olhar de luto e de vingança nos deixa claro a sua doçura.

O tratamento de cores e imagens não teve adições exageradas, deixando a experiência ainda mais real. Sem qualquer filtro ou coloração que distorcesse ou soasse puramente “Hollywoodiano”, o cinema nacional se mostra muito bem representado e valorizado com as gravações vivas de Curitiba, seu subúrbio e dos eventos apresentados na trama.

“Coração de Neon” reforça a importância de produções independentes e nacionais com uma temática necessária | #CinebuzzIndica
Lucas Estevan Soares, intérprete de Fernando, também dirigiu, escreveu e editou filme. (Reprodução/IHC)

VALE A PENA ASSISTIR “CORAÇÃO DE NEON”?

A resposta é sim! O filme possui minúsculos furos de roteiro comparados à sua grandeza em objetivo e entrega. Além de possuir uma pauta necessária, é de se admirar a coragem e talento de Lucas Estevan Soares em suas diversas funções, todas feitas com excelência.

Emocionante, divertido e único, “Coração de Neon” é um drama que sabe equilibrar as tensões com suas pitadas de humor, e também torna a emoção ainda maior com os gatilhos de ação em muitos de seus trechos. Você está conhecendo personagens já crescidos, e mesmo assim consegue se conectar, se identificar e criar sensações sobre cada um.

Além de Lucas Estevan Soares, o elenco conta com nomes como Paulo Matos, Ana de Ferro, Wawa Black, Wagner Jovanaci, Cill Nandes, Henry Bueno e William Barbier.

“Coração de Neon” chegas aos cinemas na próxima quinta-feira, dia 9 de março. Assista o trailer:


O Oscar 2023 está vindo aí! Para quem vai a sua torcida na categoria de Melhor Atriz?

  • Cate Blanchett, "Tár"
  • Ana de Armas, "Blonde"
  • Andrea Riseborough, "To Leslie"
  • Michelle Williams, "Os Fabelmans"
  • Michelle Yeoh, "Tudo em Todo o Lugar ao Mesmo Tempo"

+ Já segue o CineBuzz nas redes sociais? Então não perde tempo!


Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!