CineBuzz
Busca
Facebook CineBuzzTwitter CineBuzzInstagram CineBuzz
#CineBuzzJáViu / CRÍTICA

Sem sentir a ausência de Rocky, "Creed III" apresenta um dos melhores antagonistas da franquia | #CineBuzzIndica

Nono filme da série Rocky/Creed chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira (02)

ANGELO CORDEIRO | @ANGELOCINEFILO Publicado em 02/03/2023, às 12h15

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Sem sentir a ausência de Rocky, "Creed III" apresenta um dos melhores antagonistas da franquia - Divulgação/Warner Bros.
Sem sentir a ausência de Rocky, "Creed III" apresenta um dos melhores antagonistas da franquia - Divulgação/Warner Bros.

De fato, é estranho assistir a um filme da franquia Rocky que não tenha Sylvester Stallone interpretando um de seus personagens mais queridos e conhecidos pelo público. Sem essa figura, podemos classificar “Creed III” como um grande amadurecimento não só para Adonis Creed, como também para Michael B. Jordan, estreando na direção, nesta que é a 9ª entrada da série Rocky/Creed.

A saga de Rocky no cinema sempre foi muito além de ser apenas sobre o boxe, o amadurecimento do protagonista, e as porradas da vida, deram a cada um dos longas o seu valor - ainda que nem todos se comparem em termos de qualidade. Superação é uma das palavras-chaves de “Rocky”, e nos derivados “Creed” isso não é diferente.

O personagem de B. Jordan nasceu “do zero” no primeiro spin-off de 2015, mas sempre esteve ligado ao passado da franquia por dois motivos: além do fato de ser filho de Apollo Creed, outrora rival e posteriormente amigo de Rocky, ele ainda se torna pupilo do veterano Balboa - papel que rendeu uma indicação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante para Stallone em 2016.

Agora, em “Creed III”, Adonis precisará encarar, por si só, seu maior desafio até então: um trauma do passado que se apresenta na figura de uma grande amizade. Em roteiro assinado pelo trio Ryan Coogler, Zach Baylin e Keenan Coogler, Adonis Creed (B. Jordan) decide se aposentar dos ringues após dominar o esporte a fim de focar em sua academia e na vida em família. No entanto, Damian (Jonathan Majors), um amigo de infância e ex-prodígio do boxe, reaparece querendo sua própria chance de ser campeão. Damian e Adonis terão de ficar frente a frente para acertar as contas com o passado.

Existem dois pontos chaves em “Creed III” que dão maior autenticidade a este filme e que fazem de Damian um dos melhores antagonistas da série Rocky/Creed, desde Ivan Drago (Dolph Lundgren) em "Rocky IV". O primeiro deles acontece na cena em que Damian questiona Bianca (Tessa Thompson) em como ela se sente ao ver outra pessoa usufruindo dos holofotes que deveriam ser para ela.

Majors domina as nuances e os desaforos deste personagem que chega sorrateiro mas que logo se transforma. É a partir desta pergunta que o personagem deixa claro para nós espectadores que ele quer tudo aquilo que Adonis conquistou: os trunfos de seu amigo de infância, os quais ele se julga maior merecedor.

Outro momento de virada para a trama de “Creed III” é quando Damian se revela para Adonis, assumindo o papel não apenas de um vilão que está ali para fazer frente ao ex-campeão mundial, mas principalmente trazendo para si o papel de alguém que o leva de volta ao passado, escancarando os dilemas, medos, falhas, inseguranças e questões mal resolvidas de Adonis. A melhor terapia para Adonis? Boxear! Não é à toa que o clímax do filme seja como é. Não importam público, comentaristas e familiares, apenas eles, Adonis e seu passado, na figura de Damian.

Se por um lado o longa serve como uma boa terapia para Adonis cicatrizar feridas reabertas por Damian, por outro lado, “Creed III” se revela ainda mais interessante por lançar um olhar para o futuro da “dinastia Creed”, vide os instantes finais. Em suma, este é um filme que se desgarra da figura de Rocky Balboa - sem que o personagem faça falta à trama -, e que, mesmo assim, ainda possua em sua essência a emblemática frase: “Não importa o quanto você bate, mas sim o quanto aguenta apanhar e continuar.” Adonis leva uns bons socos na cara e segue firme, sabendo que o seu passado e o seu futuro teimam em rumar para o mesmo lugar: os ringues.

Para qual lançamento de 2023 você está mais ansioso? Vote em seu filme favorito!

  • "Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania" (16 de fevereiro)
  • "A Baleia" (23 de fevereiro)
  • "Pânico VI" (9 de março)
  • "Shazam! Fúria dos Deuses" (16 de março)
  • "John Wick 4: Baba Yaga" (23 de março)
  • "Super Mario Bros. O Filme" (30 de março)
  • "Dungeons & Dragons: Honra Entre Rebeldes" (13 de abril)
  • "Guardiões da Galáxia: Volume 3" (4 de maio)
  • "Velozes & Furiosos 10" (18 de maio)
  • "A Pequena Sereia" (25 de maio)
  • "Homem-Aranha: Através do Aranhaverso" (1º de junho)
  • "The Flash" (16 de junho)
  • "Indiana Jones e o Chamado do Destino" (29 de junho)
  • "Missão Impossível: Acerto de Contas - Parte 1" (13 de julho)
  • "Barbie" (20 de julho)
  • "Oppenheimer" (20 de julho)
  • "Besouro Azul" (17 de agosto)
  • "As Marvels" (27 de julho)
  • "Jogos Vorazes: A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes" (16 de novembro)
  • "Aquaman e o Reino Perdido" (21 de dezembro)

+ Já segue o CineBuzz nas redes sociais? Então não perde tempo!


Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!