CineBuzz
Curiosidades / Será?

Lembra da teoria de que Avril Lavigne morreu e foi substituída?

A suposição surgiu em 2011 após uma série de análises físicas da cantora e de seus álbuns

Thamyris Couto| @thamy_couto Publicado em 27/09/2021, às 10h03 - Atualizado às 10h33

Lembra da teoria de que Avril Lavigne foi morta e substituída? - Reprodução/Instagram
Lembra da teoria de que Avril Lavigne foi morta e substituída? - Reprodução/Instagram

A cantora canadense Avril Lavigne conheceu o gosto da fama ainda muito nova, com seus 17 anos, após lançar seu primeiro álbum intitulado "Let Go", em que vemos ao longo dos clipes e das canções sua antiga paixão pelo skate e uma cartela de composições melancólicas, simultaneamente.

Vendendo cerca de 20 milhões de cópias de seu primeiro disco ao redor do mundo, Avril tornou-se a primeira jovem em carreira solo a atingir o topo das paradas do Reino Unido. Seu sucesso foi muito além, e atualmente já acumula cinco álbuns de estúdio, além de ser dona de uma marca de roupas com seu apelido de criança, Abbey Down, atriz e garota propaganda de três fragrâncias insipiradas em suas diferentes personalidades.

Entretanto, ao passar dos anos, teorias começaram a surgir falando sobre a morte da cantora e sua substituição por uma sósia. Em 2011, um site brasileiro afirmou que a pressão da fama resultou em uma forte depressão, e listou uma série de fatores que "comprovariam" que Avril Lavigne havia falecido ainda jovem, mais especificamente após o lançamento da canção "Nobody's Home", onde diz que ela estava voltando para casa para desabafar com seus pais, porém não havia ninguém, e portanto decidiu tirar a própria vida.

Quando o empresário da cantora, L.A Reid, descobriu a fatalidade, teve a ideia de achar uma substituta para Avril, uma menina similar a ela e que já prestava alguns serviços para a equipe, como o de despistar fãs nas ruas de passando pela cantora. Logo, Melissa Vandella teria sido inteiramente repaginada em uma versão mais roqueira e mais madura do que os telespectadores já tinham visto nos primeiros clipes e apresentações ao vivo de Lavigne.

Além da aparência, que claramente foi amadurecida, outros aspetos físicos chamaram atenção, como: formato do nariz, altura, algumas marcas de nascença que não eram mais vistas e a mudança do timbre que a "antiga" e a "nova" alcaçavam. Além das mudanças de estilo e dos álbuns -o segundo, "Under My Skin", ficou conhecido como o álbum mais sombrio da carreira de Avril Lavigne- ao decorrer dos anos.

Tais teorias e conspirações já foram rebatidas pela própria cantora, que durante entrevistas foi questionada e desmentiu tudo o que foi criado e suposto pelos demais. Lembrando que mudança de voz varia conforme a idade, e é compleamente normal diferentes timbres serem atingidos com o passar do tempo, ademais as mudanças de estilo que ficam a critério da própria artista, bem como a direção e interpretação que decidiu seguir com seus outros álbuns.