CineBuzz
Busca
Facebook CineBuzzTwitter CineBuzzInstagram CineBuzz
Curiosidades / LISTA

Viola Davis, Audrey Hepburn, Barbra Streisand e mais: Confira artistas que são vencedores EGOT

Viola Davis se tornou a 18ª artista a integrar o rol dos vencedores das principais premiações do entretenimento

ANGELO CORDEIRO | @ANGELOCINEFILO Publicado em 06/02/2023, às 16h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
Viola Davis, Audrey Hepburn, Barbra Streisand; confira artistas que são EGOT - Divulgação/Collection Christophel/Getty Images: Emma McIntyre/Brian Pobuda
Viola Davis, Audrey Hepburn, Barbra Streisand; confira artistas que são EGOT - Divulgação/Collection Christophel/Getty Images: Emma McIntyre/Brian Pobuda

A atriz Viola Davis se tornou a 18ª artista EGOT ao vencer o Grammy de Melhor Audiolivro e Narração, por seu audiobook de memórias "Em Busca de Mim", na noite deste domingo (5).

Com a vitória, Viola passa a integrar uma seleta lista de artistas que já vencerem os quatros principais prêmios do entretenimento: Emmy (televisão), Grammy (música), Oscar (cinema) e Tony (teatro).

Viola venceu o Emmy por seu papel na série “How to Get Away with Murder”, em 2015; um Oscar por “Um Limite Entre Nós”, em 2017; dois prêmios Tony por “King Hedley II”, em 2001, e “Um Limite Entre Nós”, em 2010; e agora um Grammy por “Em Busca de Mim”.

Confira a seguir os demais artistas que já alcançaram o status EGOT:


Richard Rodgers

O compositor foi o primeiro artista a conquistar o EGOT. Além disso, ele também conquistou o principal prêmio da literatura, o Pulitzer.

Rodgers levou o Oscar de Melhor Canção Original pelo romance “State Fair”, em 1946.

Ele venceu dois Emmys: Melhor Contribuição Musical para a Televisão para “Cinderela”, em 1957, e Música Original Composta para a Televisão para “Winston Churchill: The Valiant Years”, em 1962.

Durante sua carreira, ele conquistou oito prêmios Tony. No Grammy, ele também acumula diversos prêmios, conquistando o primeiro em 1961 e o último em 2020.

Helen Hayes

A atriz norte-americana foi a primeira mulher a conquistar o status EGOT.

Hayes ganhou três prêmios Tony: em 1947 com o musical “Parabéns”; o segundo com “Time Remembered” em 1958; e o terceiro em 1980, que foi concedido em homenagem a sua carreira teatral.

Ela conquistou dois Oscars: o primeiro em 1932 como Melhor Atriz pelo longa “O Pecado de Madelon Claudet” e, em 1971, como Melhor Atriz Coadjuvante no filme “Aeroporto”.

Por seu papel na série de TV “Schlitz Playhouse of Stars”, ela venceu o Emmy em 1953. Por fim, em 1977, ela conquistou um Grammy por Melhor Álbum Falado por “Great American Documents”.

Rita Moreno

A porto-riquenha venceu o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 1962, por seu papel em “Amor, Sublime Amor”. Na música, ela se consagrou por Melhor Gravação para Crianças no programa “The Eletric Company”.

Ela conquistou o Tony em 1975, como Atriz Coadjuvante na peça “The Ritz”. Ela venceu seu primeiro Emmy em 1977, pela Melhor Perfomance Individual em Programa de Variedades ou Música em “Muppet Show” e no ano seguinte, como Melhor Atriz Convidada em Série Dramática em “Arquivo Confidencial”.

John Gielgud

O ator inglês alcançou o EGOT após conquistar o Emmy de Melhor Ator em Minissérie ou Telefilme por seu papel na série “Summer’s Lease”, em 1991.

Em sua carreira, conquistou três Tony, entre eles o de Melhor Direção em Peça por "Big Fish, Little Fish", em 1962.

Em 1980, venceu o Grammy de Melhor Álbum Falado por "Ages of Man: Reading for Shakespeare". Em 1982, venceu o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por sua atuação em “Arthur”. 

Audrey Hepburn

Um dos principais nomes da história do cinema, Audrey também transitou pelo teatro, música e televisão. Com cinco indicações ao Oscar, ela conquistou sua estatueta em 1954, pelo filme “A Princesa e o Plebeu”. No mesmo ano, ela venceu o Tony como Melhor Atriz em Peça, por “Ondine”.

Seu Emmy veio em 1993, por Melhor Performance Individual em um Programa Informativo. No Grammy, Audrey conquistou o status EGOT após vencer Melhor Álbum Falado para Crianças em 1994.

Marvin Hamlisch

O compositor norte-americano venceu três Oscars, por Melhor Canção Original e Melhor Trilha Sonora Orginal, e quatro Emmys.

No Grammy, ele faturou quatro prêmios, entre eles, o de Artista Revelação, em 1974. Marvin foi indicado ao Tony duas vezes e venceu em 1976 por Melhor Música Original.

Ele é uma das duas únicas pessoas, junto com o compositor Richard Rodgers, a ser PEGOT: ganhar os quatro prêmios e um Prêmio Pulitzer.

Jonathan Tunick

O compositor nova-iorquino venceu o Oscar de Melhor Trilha Sonora Original em 1977, por "A Little Night Music". Venceu o Emmy em 1982, por excelência na Direção de Música em "Noite de Estrelas 100".

No Grammy, ele se destacou pelo Melhor Arranjo Musical em 1988, por "No One Is Alone", realizada por Cleo Laine. Em 1997, chegou ao status EGOT ao vencer o prêmio Tony pelas melhores orquestrações para “Titanic”.

Mel Brooks

O cineasta garantiu seu Oscar em 1969 pelo roteiro de “Primavera para Hitler”. Em 2001, ele venceu o Tony pela peça de mesmo título e um Grammy por Melhor Álbum Teatral, em 2002.

Brooks acumula quatro prêmios Emmy, três deles de Melhor Ator Convidado em Série de Comédia por seu papel na série “Louco Por Você”.

Mike Nichols

O cineasta se consagrou como Melhor Diretor ao vencer o Oscar por “A Primeira Noite de um Homem”, em 1967.

Na televisão, Nichols conquistou quatro prêmios: dois pela série da HBO, “Angels in America”, estrelada por Al Pacino e Meryl Streep, e dois pelo telefilme “Uma Lição de Vida”, de 2001.

No teatro, ele acumula oito prêmios por diversas peças que dirigiu. Já na música, ele ganhou o prêmio Grammy de Melhor Álbum de Comédia, em 1962.

Whoopi Goldberg

A artista conquistou o Grammy em 1985, por Melhor Gravação de Comédia. Seu Oscar veio em 1991, como Melhor Atriz Coadjuvante pelo romance “Ghost - Do Outro Lado da Vida”.

Em 2002, Whoopi conquistou um Emmy e um Tony, respectivamente, de Melhor Especial de Televisão por "Beyond Tara: The Extraordinary Life of Hattie McDaniel" e Melhor Musical por "Thoroughly Modern Millie".

Scott Rudin

O produtor venceu o Emmy de Melhor Programa Infantil em 1984, por “He Makes Me Feel Like Dancin'”.

Venceu o Oscar de Melhor Filme em 2008, por assinar a produção de “Onde os Fracos Não Têm Vez”. No teatro, Rudin está envolvido em 18 peças que venceram o Tony.

Em 2012, conquistou o status EGOT ao ganhar um Grammy por Melhor Álbum Teatral.

Barbra Streisand*

Com dez Grammys, incluindo o Grammy Lifetime Achievement Award e o Grammy Legend Award, cinco Emmys e dois Oscars, Streisand alcançou sucesso em diversos campos da arte.

Seus dois Oscars são os de Melhor Atriz, por "Funny Girl" e o de Melhor Canção Original, por "Nasce uma Estrela", de 1977.

*No Tony, ela venceu o prêmio especial de Estrela da Década – não competitivo.

Liza Minnelli

A atriz norte-americana se consagrou com o longa “Cabaret”, de 1973, pelo qual ganhou o Oscar de Melhor Atriz. No mesmo ano, ela venceu o Emmy de Melhor Especial de Variedades, Música ou Comédia por “Liza com Z”.

Antes de alcançar o estrelato nos cinemas, Liza passou pelo teatro, onde recebeu quatro Tonys. Possui ainda dois prêmios Grammy, conquistados em 1990 e 2008.

James Earl Jones*

O ator norte-americano começou sua carreira no teatro, onde conquistou dois Tonys de Melhor Ator, em 1969 e 1987.

Jones ganhou um Grammy em 1978, por Melhor Álbum Falado. Na televisão, ele conquistou três prêmios, de Melhor Ator em Série Dramática em 1991, por "Gabriel's Fire"; de Melhor Ator Coadjuvante em Minissérie ou Telefilme, também em 1991, por "Heat Wave"; e o de Melhor Performance em Especial Infantil, em 2000, por "Summer's End".

*No cinema, o Oscar o honrou em 2011 com o prêmio pelo conjunto da obra – não competitivo.

Robert Lopez

Robert Lopez é a única pessoa que alcançou o status EGOT duas vezes – tendo ao menos dois prêmios de cada.

O compositor ganhou o Oscar por uma das músicas mais famosas do cinema nos últimos tempos: “Let it Go”, da animação "Frozen". Em 2017, ele ganhou mais uma estatueta, também por Melhor Canção Original, dessa vez pela canção de “Viva – A Vida é uma Festa”.

Lopez acumula ainda quatro Emmys, três Grammys e três Tonys.

Andrew Lloyd Webber

Entre 1980 e 2018, o compositor Webber venceu sete Tony, três Grammy, um Oscar e um Emmy. Várias de suas músicas, como "I Don't Know How to Love Him" de "Jesus Cristo Superstar", "Don't Cry for Me, Argentina", de "Evita", "Memory" de "Cats", e "The Music of the Night" de "O Fantasma da Ópera" atingiram grande reconhecimento mundial.

O musical “Evita” lhe rendeu três vitórias em três premiações diferentes: Oscar, Tony e Grammy. Outra produção que lhe rendeu vitória múltipla foi o musical "Cats", premiado no Tony e no Grammy.

O status EGOT veio em 2018, ao vencer o Emmy com um musical especial para a TV.

Tim Rice

Em colaboração com Webber, Rice também conquistou os três prêmios por “Evita” e o Emmy por “Jesus Cristo Superstar - Live in Concert”.

Antes, ele já havia vencido dois Oscars pelas canções dos longas da Disney “Aladdin” (que também lhe rendeu dois Grammys) e “O Rei Leão”.

No total, ele acumula 12 troféus das quatro premiações.

John Legend

Em um curto intervalo de tempo, o cantor venceu 18 prêmios: 12 Grammys, quatro Emmys, um Oscar e um Tony.

Venceu o Tony em 2018, com “Jitney”. O Oscar foi conquistado com a canção “Glory”, do filme “Selma”.

Legend alcançou o status EGOT por seu trabalho ao lado de Rice e Webber, após vencer o Emmy por “Jesus Cristo Superstar - Live in Concert”.

Alan Menken

Em 2020, o compositor entrou para o seleto grupo dos EGOT após vencer um Emmy com um especial da princesa Rapunzel para a TV.

Ele é responsável pela trilha sonora de diversas obras da Disney, como “Pocahontas”, “A Pequena Sereia”, “A Bela e a Fera” e “Aladdin”, que lhe renderam prêmios 8 Oscars e 11 Grammys.

Em 2012, venceu o Tony Award de Melhor Trilha Sonora Original por "Newsies".

Jennifer Hudson

A cantora e atriz norte-americana recebeu seu primeiro prêmio em 2006: o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em “Dreamgirls”. Em 2009, seu primeiro álbum foi premiado no Grammy.

Em 2021, ela venceu um Emmy como produtora de “Baba Yaga” e, no ano seguinte, se consagrou EGOT ao vencer um Tony, também como produtora, por “A Strange Loop”.

"Deadpool 3", "Quarteto Fantástico" e mais: qual é a produção mais aguardada do Universo Cinematográfico da Marvel? Vote!

  • "Pantera Negra: Wakanda Para Sempre" (10 de novembro nos cinemas brasileiros)
  • "Guardiões da Galáxia: Especial de Natal" (25 de novembro no Disney+)
  • "What If...?" - 2ª Temporada (Início de 2023 no Disney+)
  • "Homem-Formiga e a Vespa: Quantumania" (16 de fevereiro de 2023 nos cinemas brasileiros)
  • "Invasão Secreta" (Entre março e junho de 2023 no Disney+)
  • "Guardiões da Galáxia 3" (4 de maio de 2023 nos cinemas brasileiros)
  • "Echo" (Entre junho e agosto de 2023 no Disney+)
  • "As Marvels" (27 de julho de 2023 nos cinemas brasileiros)
  • "Loki" - 2ª Temporada (Entre junho e agosto de 2023 no Disney+)
  • "Coração de Ferro" (Entre setembro e novembro de 2023 no Disney+)
  • "Agatha: Coven of Chaos" (Fim de 2023/Início de 2024 no Disney+)
  • "Capitão América: Nova Ordem Mundial" (2 de maio de 2024 nos cinemas brasileiros)
  • "Daredevil: Born Again" (Entre março e junho de 2024 no Disney+)
  • "Thunderbolts" (25 de julho de 2024 nos cinemas brasileiros)
  • "Blade" (5 de setembro de 2024 nos cinemas brasileiros)
  • "Deadpool 3" (7 de novembro de 2024 nos cinemas brasileiros)
  • "Quarteto Fantástico" (13 de fevereiro de 2025 nos cinemas brasileiros)
  • "Vingadores: A Dinastia Kang" (1º de Maio de 2025 nos cinemas brasileiros)
  • "Vingadores: Guerras Secretas" (30 de abril de 2026 nos cinemas brasileiros)

+ Já segue o CineBuzz nas redes sociais? Então não perde tempo!


Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!