CineBuzz
Famosos / EITA!

Anitta desmente acusação de fã que a processou por aparição em série da Netflix

Dona Maria Ilza havia alegado não ter autorizado o usou de sua imagem em "Anitta: Made In Honório"

Redação Publicado em 14/01/2021, às 18h09

Anitta desmentiu a acusação feita em processo de fã que aparece em série da Netflix - Reprodução/Netflix
Anitta desmentiu a acusação feita em processo de fã que aparece em série da Netflix - Reprodução/Netflix

Depois de ver o seu nome envolvido em um suposto processo protocolado por dona Maria Ilza de Azevedo, uma fã que aparece "invadindo" a casa da cantora em um dos episódios de "Anitta: Made In Honório", série documental que chegou à Netflix em dezembro, Anitta foi curta e grossa para resolver a situação.



Sem se estender sobre o assunto, a dona do hit "Me Gusta" escreveu em seu Twitter: "Sim. Temos autorização de imagem. Boa noite". A publicação faz referência à acusação dos advogados de que a Netflix não tinha sido autorizada por Dona Maria Ilza a exibir a sua imagem na série documental sobre a cantora:

+ Leia mais: Anitta é processada por fã que apareceu em "Anitta: Made In Honório", da Netflix

O processo ainda prosseguiria dizendo que, devido à apariação na série, Dona Maria Ilza teria virado motivo de chacota entre amigos e familiares: “Autora vira o motivo da indignação e o quadro do qual ela aparece passa a ter grande importância no documentário, dando a entender que sua entrada na casa, devidamente autorizada, foi uma ingrata surpresa – um erro – do qual a Autora aproveitou-se para burlar regras, de forma clandestina, tanto é que esta chega a discutir com seus funcionários. Neste momento a Autora é transformada em uma ‘cara de pau’ que conseguiu entrar na casa da famosa Anitta, passando a ser achincalhada pelo mundo a fora, tendo em vista que Anitta é uma ‘estrela global’“, diz a acusação.

O processo teria sido protocolado em 18 de dezembro, mas Dona Maria Ilza teria tentado desistir do processo às vésperas do Natal, alegando um erro nas informações prestadas. Porém, segundo Fábia Oliveira, do jornal O Dia, a ação ainda não teria sido extinta.