CineBuzz
TV e Séries / TV / NOVIDADE

"Bridgerton" é uma cópia de "Gossip Girl"? Conheça os livros que inspiraram a série de sucesso da Netflix

Série de época estreou na Netflix no dia de Natal e já é um sucesso entre os espectadores da plataforma

Redação Publicado em 28/12/2020, às 12h36

Inicialmente, "Bridgerton" foi acusada de ser uma cópia de "Gossip Girl", mas não é bem assim - Reprodução/Netflix/CW
Inicialmente, "Bridgerton" foi acusada de ser uma cópia de "Gossip Girl", mas não é bem assim - Reprodução/Netflix/CW

Jovens, belos e da alta sociedade sob a mira de uma fofoqueira misteriosa, que promete trazer um turbilhão de emoções a suas vidas. Nós acompanhamos essa história por seis anos na televisão, entre 2007 e 2012, em "Gossip Girl", mas uma bastante similar estreou na Netflix no último dia de Natal e já é um grande sucesso entre os espectadores: "Bridgerton".

A trama da nova série da Netflix se passa no século XIX e conta a história de uma família de oito irmãos, os Bridgertons. A protagonista é Daphne Bridgerton (Phoebe Dynevor), a mais velha dentre as irmãs, que se torna o destaque da temporada após receber a benção da rainha Charlotte (Golda Rosheuvel), mas acaba sabotada pela chegada e atenção recebida por Marina Thompson (Ruby Barker), prima distante da família Featherington.

Para cumprir o desejo de se casar, como as moças deveriam fazer naquela época, a jovem arma um plano com o duque de Hastings, Simon Basset (Regé-Jean Page), para que finjam estarem flertando um com o outro e atraiam pretendentes enciumados para ela, enquanto afastam pretendentes desesperadas de perto ele. O plano seria perfeito, não fosse pela misteriosa Lady Whistledown, uma fofoqueira que, com seus jornais repletos de segredos, passa a moldar a sociedade britânica. 

+ Leia mais: Criador revela como lidou com cena de estupro em "Bridgerton", nova série da Netflix

A série de TV se inspirou nos livros escritos pela norte-americana Julia Quinn, que tem uma vasta experiência em histórias de época. "Os Bridgertons", como foi batizada a franquia, conta com nove volumes, oito dedicados a cada um dos irmãos da família - além de Daphne, temos Anthony, Benedict, Colin, Eloise, Francesca, Hyacinth e Gregory, nesta respectiva ordem - e o nono, com histórias sobre a família após alguns anos dos eventos dos outros livros.

Em um primeiro momento, após anos de familiaridade com a blogueira misteriosa Gossip Girl, interpretada por Kristen Bell ("The Good Place", "Frozen") na série homônima, "Bridgerton" pode até soar parecida com a sua antecessora, mas a verdade é que a história surgiu alguns anos antes de "Gossip Girl" - que também foi uma série de livros antes de estrear na televisão - ir parar nas livrarias. 

O primeiro livro da saga histórica, "O Duque e Eu", foi lançado nos anos 2000, já acompanhado do segundo, "O Visconde Que Me Amava", que chegou às lojas no mesmo ano. Nos anos seguintes, saíram "Um Perfeito Cavalheiro" e "Os Segredos de Colin Bridgerton", quarto volume da história, em 2002, mesmo ano em que o primeiro livro de "Gossip Girl" foi finalmente lançado. "Para Sir Phillip, com Amor" (2003), "O Conde Enfeitiçado" (2004), "Um Beijo Inesquecível" (2005), "A Caminho do Altar" (2006) e "E Viveram Felizes Para Sempre" (2013) dão continuidade e encerram a trama.

+ Leia mais: Entenda por que "Friends", "Gossip Girl", "Pretty Little Liars" e outras séries estão deixando a Netflix

Diferentemente de Julia Quinn, a autora de "Gossip Girl", Cecily von Ziegesar, não inspirou sua história em nenhuma época, mas na própria vida, acrescentando a blogueira misteriosa para balançar as vidas de Serena van der Woodsen, Blair Waldorf, Nate Archibald, Chuck Bass, Dan Humphrey, Jenny Humphrey, Vanessa Abrams e muitos outros jovens da alta sociedade de Nova York. A série literária teve doze livros na saga principal, além de um livro prequel e uma versão em terror do primeiro livro; e duas séries derivadas, "It Girl", com dez livros focados em Jenny, e "Gossip Girl: Os Carlyles"que tinha uma nova leva de personagens. 

Embora a misteriosa fofoqueira crie uma forte identificação entre as duas histórias, as semelhanças param por aí. Até o tratamento com a personagem é diferente: Lady Whistledown tem a identidade revelada no quarto livro de "Os Bridgertons" (na série, o mistério sobre a fofoqueira tem solução no último capítulo), enquanto Cecily von Ziegesar preferiu manter o segredo de quem é a Gossip Girl guardado a sete chaves (apesar de a série escolher um de seus personagens principais para ser a blogueira).

De resto, não há argumentos bons o suficiente que aproximem as duas produções. Bom para nós, que no ano que vem poderemos desfrutar da primeira temporada do reboot de "Gossip Girl", que está sendo produzido pela HBO Max; e, quem sabe, com o sucesso de "Bridgerton" em seu primeiro fim de semana na Netflix, ficando entre os mais vistos desde a sua estreia, uma segunda temporada da série também já esteja a caminho. Vamos torcer!