CineBuzz
Busca
Facebook CineBuzzTwitter CineBuzzInstagram CineBuzz

Confira o review do jogo One Piece Odyssey

Testamos o RPG clássico com os integrantes da tripulação do Chapéu de Palha

Redação EdiCase Publicado em 26/03/2023, às 09h00

WhatsAppFacebookTwitterFlipboardGmail
One Piece Odyssey é um novo RPG por turnos (Imagem: Divulgação | Bandai)
One Piece Odyssey é um novo RPG por turnos (Imagem: Divulgação | Bandai)

Reviva a adrenalina de quatro arcos da série. Já com seus 25 anos de publicação, One Piece finalmente entrou em sua saga final. Independentemente de como o mangá vai acabar, sempre nos lembraremos dos melhores momentos de mais de duas décadas de aventuras. One Piece Odyssey é um novo RPG por turnos que investe nisso, relembrando as partes principais da jornada do bando dos piratas Chapéu de Palha. 

Estilo do jogo

Odyssey tenta ser um RPG simples e tradicional enquanto coloca algumas ideias diferentes em seu sistema de batalha. As lutas são no bom e velho esquema de turnos, porém cada personagem fica em um lugar diferente da arena, lutando contra seus próprios adversários.

Você controla um personagem de cada vez, e quem vence o adversário pode se juntar a quem ainda está batalhando. Tipos de golpes diferentes funcionam melhor contra certos inimigos, e aí cabe a você traçar o melhor mano a mano possível nas lutas. 

Tipos de batalhas

Também há a chance de acontecer uma “cena dramática” no meio da luta, onde alguma condição especial acontece com um personagem e o grupo ganha um bônus se cumprir o objetivo. São eventos que têm a ver com cada um, como o Sanji ter que vencer a batalha no próximo turno porque ele está rodeado de mulheres e não consegue se concentrar. Há também ataques em conjunto dependendo da formação na batalha. 

Ilustração do jogo One Piece Odyssey
O jogo relembra os quatro maiores arcos de One Piece (Imagem: Divulgação | Bandai)

Motivo maior na história

O jogo relembra os quatro maiores arcos de One Piece pré-Wano (que não estava nem perto de acabar enquanto o jogo era feito): Alabasta, Water 7, Marineford e Dressrossa. Só que, em vez de simplesmente recriar as histórias como elas aconteceram, há um motivo maior que abre possibilidades: o bando do Chapéu de Palha naufraga em uma ilha estranha onde uma garota usa seus poderes para roubar habilidades das pessoas. Ela rouba as do bando, e eles precisam recuperá-las atravessando um mundo ilusório, criado a partir das memórias deles próprios, chamado… Memoria. 

Desafios no jogo

E é em Memoria que o bando passa pelos arcos citados – é meio esquisito ver Luffy & cia. com suas roupas pós-time skip em Alabasta, mas é o que acontece. Eles vão enfrentar os mesmos vilões de antes e as histórias são basicamente as mesmas em Alabasta e Water 7 – afinal, o grupo quer repetir os finais felizes.

Já Marineford tem um certo acontecimento estrondoso que faz Luffy lutar com toda sua força para ter um resultado diferente, mesmo em um mundo que não é real. Será que ele consegue? Dessa vez, ele terá a ajuda de todos os companheiros para vencer. 

Mesmo com o visual meio humilde, que por algum motivo é marca registrada dos jogos de One Piece, Odyssey é um dos poucos jogos baseados na franquia que tenta algo um pouquinho mais sofisticado e com qualidade acima da média.

Por Douglas Martinez – Editora Europa

Receba o melhor do nosso conteúdo em seu e-mail

Cadastre-se, é grátis!